quinta-feira, 30 de julho de 2015

Alma incolor (composições *3*)

Posso transformar seu duro coração
Na luz mais insana desta bizarra terra
Não fuja dessa razão
As cores não podem te prender

Os sentimentos estão presos
Alma incolor
Tenta mostrar a mentira
Esconder a realidade

Pura verdade
Isso é insano
Teu lindo corpo
Mágica do toque absurdo

Maldito cara delicioso
Meu sorriso brilha quando você está aqui
Toque sujo
Mente imunda

Os sentimentos estão presos
Alma incolor
Tenta mostrar a mentira
Esconder a realidade

Somente sinta a batida
Desta Alma incolor
Fica mais um segundo
Para te mostrar
O quê é tortura de verdade

Nos lábios
Na carne
No coração
Na alma incolor




quarta-feira, 29 de julho de 2015

Aquele Ruivo

Aquele ruivo branquelo
Cheio de doces sardas
Olhos que mesmo
Não sei dizer a cor
Estremeci com o toque
Parecendo um amor á primeira vista

Aquele ruivo branquelo
Sorriso de lado
Me fez sorrir sem querer
Meus olhos brilharam sem vergonha
Voz... Ah! Que voz

Aquele ruivo branquelo
Dúvida laranja ou amarelo
Vermelho talvez
Suei frio quando o meu olhar encontrou o dele
Sem mais.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Pedra resistente ao fogo

Aqui estou eu! Talvez deveria estar trista agora e ele não irá se comover... A felicidade grita mais alto e não necessita de motivação.
Trecho da música:
Kygo - Firestone ft. Conrad Sewell


Eu sou o escuro que precisa da luz

Quando nos tocamos você inspira

Sinto que está me mudando esta noite

Então me leve, leve-me mais alto

Há um mundo não muito longe daqui

Podemos dançar no desejo

Ou podemos queimar de amor esta noite




domingo, 26 de julho de 2015

Eu no universo

Medos, medos e eu tenho eles
A verdade sinto o pavor exalar nestes sonhos
Como admiro aqueles maravilhosos  polímatas
Ensinam não apenas uma disciplina normal
Mas sim a viver com está dose de ser um humano
Frágil, frágil e eu sou frágil.

Eu no universo me encontro
Com você busco o mistério de quem é ele
Não apenas versos rabiscados
Este sou eu
Aquele é você

Gostaria de não acreditar NELE
E ao contrario O sinto em minha carne
Em minha alma veraneável

Aparento solidão goraz
Tão sozinha buscando, buscando e eu busco
AH! Como tenho amor, amor e eu amo
Feliz, feliz e eu feliz

Eu no universo agradeço
Portanto, peço, peço e eu peço humildemente vida
Gracioso sonho de vir a terceira idade
Ver bis e os netos

Eu no universo
Talvez perdido em idéias
Mas vivendo, vivendo e eu vivendo anos maravilhosos e longos anos
Essa simples esperança que grita atrás destes previsíveis sonhos que possuo

Eu no universo
Destaco gritando silenciosamente
Vida!
Este é o sentido deste colapso e de todas coisas existentes.


sábado, 25 de julho de 2015

Ao todo uma extravagancia

A verdade sempre me achei o melhor, tudo que fazia é magnifico, um ego medíocre, dignidade franzina e orgulho irritante, Tenho uma paixão que golpe-a sempre  minha pessoa, minto, muitas paixões entre ela as artes, principalmente aquele tipo que mexe com personagens, historias e a imaginação. Canto, teatro, dança, escrita e as pinturas aguçam minha criatividade, isto é, a força daquilo que você quer e ama na vida eterna.
Posso até não me conhecer muito, a minha personalidade é uma enigma que nem eu mesmo atrevo a decifrar, o medo de ser extraordinariamente maravilhoso ou simplesmente insignificante para o mundo. Mais cedo tive uma pequenina crise de choro e irritação, participo de um espetáculo que vai ser " INCRÍVEL", em recompensa ganhei um doce papel de escrava "mudinha" e " Chorona" isso abalou, como um terremoto na china, tive a amarga sensação de ser o pior de todas as opções, questionei a hipótese se era assim... sei lá ... tá certo? Não pensei em desistir e sim veio um UP "Charles Chaplin" sua linguagem corporal e mimica, que faz roubar uma cena, duas e várias.
O Enredo é basicamente um conto de quatro crianças entediadas, que se enfiam dentro de um baú, encontram nesta fantástica dimensão um pássaro Dodo, um urso Teddy, uns robôs, escravos de Jô, o próprio JÔ, reinado, súditos, Senhor Sabe de Tudo e entre outros, se vêem numa missão meio maluca de salvar esse mundinho da seca, reciclando, limpando e um salvo choro de riso.
Obvio cresceu um inocente ódio, pratiquei as falas de um papel que não era um dos "MAIS" mas a da Rainha identifiquei-me imediatamente quando fiz a primeira leitura, um amor nasceu, após uma semana de ansiedade, veio essa explosão de extravagancia passiva. Como sou 'estrelista" ( nem sei se isso tem no dicionario, gargalhei com sarcasmo). Ainda estou tremendo, porém já que é... peço aos céus uma iluminação, para que esse personagem aparentemente silencioso, ensine ainda mais e agregue nos meus sonhos que DEUS sabe quais são, que ele exatamente não tem falas, um ponto que desejo as borbulhas e brilhe, modestamente como EU.
Jamais revele sua verdadeira face, pois será apenas um resultado frio, de um calculo que falta muita para descobrirmos o real proposito, disto tudo.
Todas essas palavras confusas é para que VOCÊ lembre dos seus amores, paixões, desejos e sonhos, vale e digo mais é o tudo que necessitamos subitamente, talvez o homem nunca preencha o vazio do seu coração, mas ele é capaz não somente surpreender aos outros e conseguir uma proeza de cativar a si mesmo.
Portanto, tenho no meu sangue uma extravagancia abstrata e não precisa ter uma forma concreta e sim saber que vive dentro de mim.Isto é um sonho que tem sede de ser sonhado por alguém e pode ser seu se tu querer é claro.Chorei e que neste bendito espetáculo seja de puro riso.- "Desta vez foi de felicidade de apenas fechar os olhos e sentir os aplausos deste belo publico."
 

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Cartas ao vento *2*

Esse 2° artigo feito por meio de uma carta que eu realmente fiz uma primeira para essa pessoa que denomino" precioso" não anotei em nenhum lugar além do papel que entreguei para ele, isso daqui é uma especie de projeção que gostaria de entregar.

Olá!

Um dos meus desejos era ver você sorrir, teus olhos brilharem e entre tantas coisa... ahã... mas tive apenas o teu silêncio e a indiferença idiota, isso é uma tolice. Meu coração acelera por um momento, fica em chamas, pareço emocional em demasia e temperamental.
Necessidade de um carinho, abraço e uma palavra não sei ao certo, minhas mãos lentas em escrever, minha cabeça mil anos a frente. Não imaginei que algo poderia surgi, porém feito uma estrela nasceu... assim sem explicação.
A verdade amei esses teus olhos misteriosos, todo esse tempo pensei que fosse azuis, foi o que vi... descobri que são verdes balançou... parece bobo  faz diferença... seus traumas, infantilidade submissa, lado obscuro, nada disso me faz afastar... isso é pior... mais novo ai é tanta coisa que fico confusa.

Termino  essa papelada, queria que falasse a verdade olhando profundamente nos meus olhos, e tu dissesse que não me quer, não sente um afeto positivo por mim... agora tanto faz... quero ser happy não interessa com você ou outro alguém. Corra ...

terça-feira, 21 de julho de 2015

O valor de um pequeno presente

Qual seria esse valor será que é mais valiosos para quem dá ou recebe? Creio que  balança esteja extremamente equilibrada. O brilho dos olhos e o sorriso doce de ambas as pessoas, a intenção conta muito e o significado vai além do horizonte, não interessa o tamanho, preço e etc... o fato é o sentimento sincero do presente.
Custa as emoções, vergonha e o carinho, hoje ganhei uma lembrancinha inesperada de alguém que nunca imaginei ganhar, foi de uma superior no meu âmbito profissional, achei primeiramente quando ela me chamou suavemente... na verdade o pior... sei lá um temido feedback no fim de um expediente... mas foi por um bem ... uma linda recordação, não pelo o objeto em si, mas pelo o gesto carinhoso, a consideração e a humildade deste ser.
Não é uma obrigação ou outro sinônimo, foi minimamente gracioso, tirou um sorriso do meu corado rosto, então desejo que cada um compreenda que a felicidade do outro, pode influenciar indiretamente  a sua, uma harmonia despretensiosa, satisfação ligeira que transforma-se divinamente eterna. Pois sublinho a felicidade custa de verdade, porém você dá o preço e escolhe que irá pagar e o presenteados, não seja solo e mesquinho.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Espero...

Espero você todos os dias
Tenho paciência pode ser até demais que o normal
Chega um momento que arde os olhos
De tantos desejos mais isso sem malicia
Quando é real não se necessita a reciprocidade
Mas como ela é prazerosa
O toque por um segundo apenas, delicia-se a alma
Posso falar desisto
Porém quando estou perto desligo a minha sensatez
O ponteiro do relógio acelera como nunca acelerou antes
Espero sinceramente não te ver mais
Isso significar que se não enxergar você perto
A esperança de te esquecer e a probabilidade de esquecer estes teus traços aumenta de chance
Pode ser para o coração desesperador
O racional pede um alivio
Espero assim a dor evaporar-se novamente
Para outro "VOCÊ" surgi aqui no meu interior e quem sabe desta vez dar certo
Espero que persistência de ser feliz não desapareça.

A estagnação de pensamentos

O vazio dos pensamentos sem um sentindo comum, provoca um arrepio muito agoniante sobre a minha pele, por exemplo quando estou triste tento colocar idéias aleatórias para ocupar a minha mente, serve como um entorpecente para esquecer essa dor fulminante, a felicidade também escondo um pouco e flutuo nos pensamentos dosados pela a inércia.
Isso dá uma ânsia de esquecer de tudo e de todos, Aprendi que a meditação ajuda na concentração e traz uma deliciosa sensação que temos um foco, ponto ou objetivo. Porém tem momentos que precisamos nos isolar em um globo blindado do ambiente externo. Ganhamos uma identidade e um segundo esquecer que essa sociedade ampla nos traz tanta emoção que se a estagnação de pensamentos não vir a tempo, é capaz de explodir e os fragmentos disto, poderá magoar não somente "a pessoa" e também quem está ao redor.
Ás vezes a frustração de não conseguir criar é tão intensa que, a tristeza bate a porta, mas isso acontece quando a desilusão, desmotivação e o BUM brindam nas costas. A vontade de modificar um pouquinho a rotina é imensa como o mar e imprevisível como o céu, aliás amo olhar o céu, por causa não somente sua beleza, sabe a profundidade deste é uma fantasia, sendo mesmo dá  um UP e  sem querer ri novamente.
Portanto, esforce-se para a alegria dominar com o simples assim não precisará ficar em estagnação e principalmente em sua linha de pensamentos.

domingo, 19 de julho de 2015

Dot Com

Enquanto o sol brilha
Você fica triste
Tudo como se fosse uma aventura
Isso vira rotina
E o ponto final não se vê
Facilmente se espalha

Doces lembranças de verão
Que balançam com as pessoas
Dot Com

Ela fica insana
Ele enlouquece
Por causa que o jogo acabou
O amor frio brilha como o sol

As fantasias não são o suficiente
Precisamos conversar
Senhor fogo eu sei o seu segredo
Você me ama

Doces lembranças de verão
Que balançam com as pessoas
Dot Com

Eu sou o fogo queimarei a sua alma
Tenho o controle agora

Doces lembranças de verão
Que balançam com as pessoas
Dot Com


Dot Com English

While the sun shines
You break it down
Everything as an adventure
It becomes routine
And the end is not seen
Easily spreads

Sweet summer memories
Swinging with people
dot Com

It is insane
he goes mad
Because the game is over
The cold love shines like the sun

The costumes are not enough
we need to talk
Fire Lord I know your secret
You love me

Sweet summer memories
Swinging with people
dot Com

I am the fire burn your soul
I have control now

Sweet summer memories
Swinging with people
dot Com

Incógnita estonteante

Não devo molestar as minhas lembranças com momentos falsos e vazios, tenho como uma espécie de tese que  existimos por um motivo excepcional que pode estar na palma das mãos, mas somente na hora exata será revelada, um dia depois de  uma  conversa sutil, perguntei para mim mesma quem realmente sou, não obtive uma resposta concreta como uma incógnita agoniante.
Reparei que não conseguia ter uma postura solo em todos os ambientes, amigável, feliz, animada, séria, misteriosa e etc...Tento blindar o meu EU com a neutralidade e a magia de sentir ( falo muito esta palavra porque ela de fato suga o meu tempo) quando concentro todos os meus pensamentos em algo, parece que vem inesperadamente uma criação interdisciplinar estonteante, animo o futuro que se faz distante, lembro que era uma criança isolada, vivendo em um mundinho de imaginação muito fértil, significando que tinha total posse da vida que levava. Praticando o equilíbrio sei que não tenho reflexos adequados, muitos não entendem a maneira que vejo a vida, isso não me agustia e sim traz a tona a vontade de ir lá e surpreender novamente.
Feito um doce de tacho criado pela avó de outro alguém, devoro o simples, ambicionando o universo, fome pelo o conhecimento, guardando o prazer. Acho que CRIAR é um forte dom que DEUS deixou cair em meu colo, assim também a ATUAÇÃO muito de incessantemente vestir o personagem proposto em uma historia é mais que uma ficção, sim uma arte de viver... vivendo em uma dimensão igual e ao mesmo tempo impressionar o público.
É um encantamento a Dança e a Música, causa uma pulsação bela e forte em todo o meu corpo, falando alias em nossa carne devemos doma-la com tal valentia, para que este não decepcione o nosso racional.
Como um flash tive uma ideia de fazer um roteiro mais ou menos assim .... " Um talento invisível" para proporcionar o controle de qualidade e defeito que rege a gente, iniciando com conflitos de jovens, naturalmente com uma competição de que é o melhor o mais talentoso, indo para a dissimulação, reviravoltas esse termo não me atrai como outros que também realizam coisas, porque isso amplia os rumos do enredos, e abre diversas questão, que aparentemente é duro finalizar, isto é, causa um vicio que não somente artistas, cientistas, pensadores e também pessoas comuns, adquirem que a necessidade de melhorias continuamente, nunca está perfeito e aquele gosto de mais, mais, mais, melhor, melhor, melhor e que leva um auge de exibicionismo prejudicial ou um declínio da capacidade de ser nós mesmos. A liberdade de expressar a nossa identidade é primordial, demostra o quão envolvidos com a vida estamos e como engenhosos somos para aproveitar o pomposo destino que teremos. Que tudo é mais um passo para seguir em um caminho que não conhecemos, mas iremos felizes, escolhendo a melhor rota e ao chegar berrar - Não tenho arrependimentos naquilo que fiz, pois fui eu  mesmo e não escondo a existência de uma incógnita estonteante que habitou em mim.
Nas nuvens ainda não fui sincera comigo na escolha da qualidade e defeito predominante que possuo, estou com uma tamanha dificuldade em moldar este personagem caricato, doi não saber que você realmente é.        

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Conte-me Paolo *3*

A madrugada de Paris estava muito gelada como um mocinho daqueles poderia estar tão desprotegido assim, a dupla olhou para o lado e não viram ninguém que pudesse ajudar o garoto, ele tremia, tinha uma beleza especial e os olhos imploravam uma dose de cuidados. Então Franchesca agachou-se e falou.
- Vou te tirar daqui tudo bem?
- Hum.- Gaétan acenou que sim com a cabeça.
-Não podemos confiar muito, hein...- Paolo sussurrou nos ouvidos de Raffe.
- J'ai compris cuido disso.- Ignorou.
Eles seguiram para o apartamento de Franchesca que se localiza próxima a  avenida conhecida como Champs-Élysées, um prédio bem acolhedor, com uma escadaria em formato de caracol, a madeira exila um odor de lar confortável, a porta de seu ninho tinha como campainha de pedra, fazia um barulho que irritava qualquer um. Desastrada Raffe derrubou o molho de chaves e Dom Caron teve que se esticar  como uma minhoca para pegar, Gaétan sorriu levemente.
Por dentro é tão lindo, com móveis femininos, um sofá imenso e fofo, os rapazes sentaram-se envergonhados, ela serviu um chá quente, com toda delicadeza ofereceu comida, banho e um espaço para dormir. Estava tarde e Paolo aceito ficar aquela noite e o garoto decidiu dormi no chão da sala, não estava muito a favor de incomodar com respeito Franchesca o acariciou seu rosto e não insistiu mais.
- Então posso dormi no sofá!- Paolo falou alegre.
- Sim, mas antes quero conversar um pouco.- Raffe disse.
Logo que o garoto adormeceu Franchesca conduziu Dom Caron para seu quarto, ele um pouco confuso a seguiu, deitaram na cama e ficaram por um tempo olhando para o teto, sem saber o que comentar sobre o assunto. Naquela altura ela já havia se arrependido de ter o chamado. Os corações aceleraram, as mão suavam, o pelo arrepiado e voz não aparecia.
- Estou me sentindo estranho.- Paolo sem graça- Hoje está sendo diferente.
- Porque? Não te chamei aqui por algum motivo... Sei lá foi um impulso bobo.
- A sua família deve ter orgulho de você.- Afirmou.
- Talvez... não sei... E a sua mãe deve te amar muito.
- É amava... ela morreu quando eu era um menininho... o meu pai me odeia... por não ser muito comum, assim igual os caras normais.
- Como?- Curiosa.
- Muito másculo, forte, engenhoso e destemido. Acha que sou frágil de mais, por eu gostar da artes, ele nunca sonho em ter um filho sensível e solitário.
- Você aparenta ser esperto e comunicativo, não é qualquer um que sai de seu próprio país e tenta a sorte em outro.
- Franchesca como posso te explicar... ah deixa fale um pouco sobre você.
- Isso é sério, não gosto de falar de mim, gosto que me descubram- Segurou as mãos de Paolo Caron com se fosse uma conexão para outra dimensão.
-Também sou reservado.- Soltando suas mãos- Não curto muito o toque humano.
- Verdade? Nunca tinha visto isto.
-Mulher você é muito linda... mas prefiro ficar em silêncio.
- Diferente.- Raffe disse confusa e mordendo os lábios.- Um cara que me faz instantaneamente fantasiar uma situação provocante, e não dar a mínima é diferente. - Chegou perto dos lábios do rapaz gemendo suavemente.
- Sempre têm a primeira  vez. - Seco.
- E esta primeira vez que tento tomar a iniciativa,  e ainda dá errado- Sorriu.- Não  sou de ficar com qualquer um... Paolo...
- Sim.
- Por favor.
- Não tente... não posso...
- Você é...
- Sou o que você quiser, as fantasias que você formula de mim são tão reais quanto a minha existência.
- Vamos dormi então... fica do meu lado.
- Tudo bem.
Em um ato de desespero Franchesca tirou sua blusa, subiu em Paolo Caron, toda maliciosa, com uma vontade imensa de se possuída em todos os sentido, ele ficou tão vermelho e irritado que berrou.- NÃO!- Empurrou a moça para o lado. O barulho foi alto que acordou Gaétan que imediatamente levantou e foi até o quarto, instintivamente abriu a porta que estava destrancada e viu uma cena um pouco constrangedora.
- Oi.- Franchesca disse.
 

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Vou testar sua masculinidade..

Realmente tenho um carinho especial pelos os homens, sem malicia pura inocência mesmo isso quero deixar sublinhado, sabe porque vou explicar é pela a essência e graça dessas pessoas do gênero masculino.
Eles querem se mostrar dominadores, poderosos e fortes, pode ser até que seja verdade em alguns momentos, tentam se blindar muitas vezes de suas próprias emoções, têm pavor de parecer sentimentais, o controle de tudo em todos os momentos. Sempre me achei um pouco masculinizada (nem sei ao certo se essa ultima existe mesmo) vestia roupas largas, gostava de ficar sozinha e passo mais tempo rodeada de machos do que das mulheres, me sinto mais confiante e a vontade.
Tenho a ânsia de decifrar os pensamentos masculinos, eles são tão complexos, duros e reservados, observei vários caras por um período, puxei conversa com aqueles que achei interessantes e percebi que os moços gostam de se sentir desejado mais em uma dimensão muito diferente que a versão feminina, tornam-se prepotentes um pouco... Não aguentam ser a caça assim ludicamente citando por muito tempo, amam o desafio e incerteza se seus planos vão dar certo. Encantam-se pelas ingênuas que posteriormente se mostram alucinadas com o prazer na intimidade.
Os homens querem carinhos sem precisar pedir, então propus alguns rapazes que conheço um abraço ou melhor dois, o primeiro abraço era do tipo extintivo, me  apertaram tão forte, brutal, excitante entre outras coisinhas a  mais que não vem ao caso ( como são salientes não perdem uma oportunidade de tirar uma casquinha), depois no segundo pedi que respirassem fundo, tirassem da mente todos os pensamentos impróprios, fechassem os olhos e apenas sentissem a sensação de um abraço limpo. Foi intenso como se naquele ato tivesse tanta energia positiva, não conseguiam soltar-me, falei palavras de conforto, era como se todo o carinho do universo percorresse o meu corpo inteiro, um apego que não desaparecia, gemidos, suspiros, leveza da alma, uma limpeza, saia um peso das revoltas. Abriram um sorriso tão gostoso que enchi meus olhos com um brilho vívido. A delicia do momento foi escutar OBRIGADA UMA SENSAÇÃO MUITO BOA, uma felicidade que transbordava daqueles moços sem igual, venci o medo deles de se entregar como meninos no colo e junto com caricias fraternas.
Um dia pensei e sei lá como ser feminista e depois de muito refletir, não desejei mais, posso estar errada mais os homens querem um afeto fora do comum esperam um cuidado demasiado, loucuras diurnas e noturnas, progresso, o topo e de tudo um pouco.
Entretanto não aceitam que testem sua masculinidade, diminuam seu ego, agridam sua dignidade e firam o seu orgulho, odeiam ser contrariados principalmente pelo o coração.
OBS: Talvez isso não seja totalmente real, mais ao menos tive coragem de testar subitamente a masculinidade de alguns rapazes.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

O conhecimento feito um dogma

Como uma pessoa curiosa busco o conhecimento, a reflexão e aprofundar as minhas ideologias de certo e errado, descobri que o ser humano para completar-se tem que estar aberto para experiencias boas ou ruins. Faço constante pesquisas sobre assuntos e disciplinas de forma aleatória, sou um pouco obcecada com isso, quero aprender compulsivamente, sinto prazer... e depois entro em transe com que a minha mente agregou. Estudo não somente área que atuo que é as artes e finanças, sim de tudo um pouco e biografias de grandes personalidades encanta a minha mente.
Observei não posso de maneira alguma falar que é o certos essas pessoas celebres, tiveram grandes e pequenas reviravoltas em suas vidas e uma fome de "SABER" admirável e ao mesmo tempo questionável.
Bati um papo com alguns colegas e muitos não gostam de por em pauta os temas religião, politica, sociedade e sexo como foco em uma conversa amistosa, isso gera desconforto e constrangimento para alguma das partes.
Porém analisando uns pontos será mesmo que o tal conhecimento é essencial, transforma o homem seletivo, quer ver provas, estar no centro, ambiciona algo, separa muitos relacionamentos( todos o tipos) e coloca nosso ego em um topo tão frágil. Que se a queda vir acontecer tudo se destrói e acaba com tudo que se foi projetado duramente
Ninguém consegue se sentir feliz o 100% da vida, principalmente se ficar  solitário, não prejudica somente um e sim todos em sua volta.
Devoro tudo um pouco, tento controlar a minha desleal ansiedade, compacto todas as informações em uma caixa ilusória para quando necessitar destas, conseguir utiliza-las com sabedoria. De nada adianta conhecer a fundo algo se não saber o que fazer com que se têm. Entretanto tem pessoas que tem genialidade sem igual, autodidata, polímatas, artistas e entre outros, dê uma pesquisa, conheça de tudo e sintetize o que for essencial, mas cuidado com a vaidade e outros vícios, ambições e a prepotência, que o conhecimento seja um forte não uma arma contra si mesmo e a simplicidade seja uma aliada para uma eterna felicidade com momentos tristes, pois estes não se pode abortar, que sejam contidos e conhecimento efetivo.  
   

What Defines Success O quê define o sucesso?

What Defines Success

Writer:
 Alisha Ricks 
 
What is the journey to success?
Success is not gained by defeat
Success does not occur over night
Success can emerge at any age



Success is working to full potential
Success is courage
Success is lending a hand
Success is not listening to negativity
Success is being positive
Success is living your life instead of the life of others
Success is being proud
Success is overcoming obstacles
Success is striving
Success is listening to your heart

Most of all success is accepting
What you have accomplished 


TRADUÇÂO

O quê define o sucesso


Qual é a viagem para o sucesso?
O sucesso não é adquirida pela derrota
Sucesso não ocorre durante a noite
Sucesso pode surgir em qualquer idade

O sucesso é trabalhar para potencial
Sucesso é a coragem
O sucesso é dando uma mão
O sucesso não é ouvir a negatividade
O sucesso é ser positivo
Sucesso é viver a sua vida em vez da vida dos outros
O sucesso é ser orgulhoso
Sucesso é superar os obstáculos
O sucesso está se esforçando
O sucesso é ouvir o seu coração

Acima de tudo o sucesso está aceitando
O que você tem feito.

 fonte:http://www.poemhunter.com/poems/depression/

terça-feira, 14 de julho de 2015

Você provocou primeiro

Na teoria tudo é mais limpo ao chegar na verdadeira ação o monte vai transformando em flexível e prepotente. Por te tido vários amores vadios ou melhor me expressando apenas noites satisfazendo minhas vontades mundanas. Falei alto absurdos, gritei nomes, berrei declarações vagas e gemi sentimentos falsos. Em uma madrugada as estrelas estavam dançando anunciando que o próximo dia seria ensolarado, voltando sozinha, cantarolando...
" Quero seu amor
Joga fora o seu orgulho
Sinto muito querida o meu coração não pertence a ti
Pode brincar com o meu corpo mais não com meu coração"
A dádiva estava prestes a acontecer, um tropeço na imensidão da noite foi que me salvo da luxuria pagã, em questão de segundos quase cai e ele me ergueu. O homem loiro, de porte médio, olhos verdes ciumentos, boca rosada, pele de gelo e mãos protetoras. Os nossos olhares ficaram hipnotizados com o calor de algo repentino, as minhas bochechas estavam ardendo. Primeira vez que fiquei envergonhada diante um rapaz, nua com vestes grossas, essa nudez era da alma, como um flash da minha vida , me sentido insegura e inferior em frente ao um nobre.
Nunca me vendi, apenas queria de alguma forma igualar-me a eles... Queria ter o poder em minhas mão, não um brinquedo descartável e sim única. Realmente o ser humano é único isso ninguém pode ser opor.
- Querida você está bem?- Sussurrou- O quê uma moça como você fica perambulando na madrugada, assim tão indefesa.- Escutando entusiasmado meus suspiros.- Como se chama?
- Amélia senhor.
- Não sou senhor ainda acho até que temos a mesma idade.- Levantou o meu corpo,- O meu nome é Afonso.
- Sim e você o quê faz um bom moço nessa noite sombria?
- Caçando.- Seco
- Hum
- Precisa que te levem para casa?
- Não é necessário, sou independente e até mais que muito homem.
- Sim, então tudo bem.
- Então solte minhas mãos e não olhe para mim com essa cara.
- É a que eu tenho.- Erguei os ombros.
- Se apaixona fácil assim.
- Isso é inescapável.
- Somente por presas tolas.- Desprendi as minhas mãos.
- Adeus.
- Adeus? Como sabe que não iremos nos ver mais... dizem que o mundo é pequeno.- Sorri
-Tenho certeza a minha existência não é suficiente para esse universo indignamente perfeito.
- Você está indo para o monte? Isso é estupidez.- Meus olhos imploravam para não acontecer o óbvio.
- Por acaso está voltando de lá? Parece bem viva e demais.
- Não mude de assunto.
O Abracei tão forte que podia experimentar sua alma, como era linda, quente, pedindo afeto e maliciável. Escorregava pelos os meus dedo, minha unhas com uma ardência estranha. Conseguia ver a solidão em pessoa.
- Largue agora!- Gritou
- Não.- Jogou a mim feito um fruto podre.
Correu e eu corri atrás, feito uma  menina boba, chegando no topo, estávamos ofegantes, suados e desprezíveis. A grama escorregadia, as estrelas mais chamativas ainda, o nascer do sol saliente, roupas sujas e duas almas amedrontados uma com a outra.
- Por que você me seguiu? Quer morrer- Sorriu sem jeito
- Não posso deixar um ser desistir tão despreocupado.- O segurei com tamanha brutalidade que nem eu mesma sabia que a tinha.
- Para mulher.
- Sabe tem gente que te ama, você não vai  sentir remorso é  claro... mas vai fazer o sofrimento grande para os que ficam... esqueça tudo apenas... a indiferença é uma merda mesmo.- Minha unhas cravaram em sua costas largas.
-Perdi tudo.
- Mentiroso. Não perdeu a sua vida... não deixe isso virar um fato.
- Se preocupe com você e aqueles que a cercam... fiquei observando reconheço vadias como você.Ninguém me ama de verdade são todos ambiciosos incrédulos.
-Calado... e as pessoas que poderiam te conhecer e começar a amar o homem maravilhoso que está diante de mim.
- Já falei que você é imunda!
- Calado.
- Não reconhece o meu rosto? Lembra daquela noite?
-Quando?
- Sabia! cachorra sem dono.- Olhou nos meus olhos profundamente que imaginei sua essência inteira entrando pelo o meu corpo.
- Hum. Lembrei- Falei friamente.
Como não recordar daquele que conquistou de dia e que a noite enlouqueceu não apenas a minha consciência e sim fez do meu corpo um jogo pervertido e delicioso. Como umas pulsações veio em minha memoria momentos que torturava para não esquecer. O primeiro contato com o olhar e o sorriso simultâneo, uma longa conversa  de efeito tão predominador e excitante, com assuntos de agregador intelectual e uma isca talvez desse maldito cupido, para que duas pessoas que não queria que o inevitável fosse de tamanha impulsividade. Então a paixão surgiu insanamente e o dia acabou num motel vagabundo, segundo contato, segurou em meus cabelos, puxou forte, suspirei, jogou no chão, contra a parede e finalmente na cama. Não quis que ele parasse em nenhum instante, o dominei e fiquei por cima. Somente quando cansamos de tanto suspiros, gritos leves, gemidos, lambidas e entre outros. Acordei sozinha naquela cama que exalava transa, que eu pensei por um momento que era inicio da minha felicidade e finalizou com um desaparecimento frustante, aquela paixão nova rapidamente se fez um ódio por um ser que enxerguei como uma malvada ilusão Não teve terceiro contato até aquela noite estrelada.
- Me apaixonei por você aquele dia sua vagabunda.
- Mentira... você fugiu.
- Fiquei com vergonha, nunca tinha feito uma coisa daquelas... não tenho essa índole de luxuria suja.
- Não se preocupou comigo, se eu tinha ficado sem graça ou...
-  E aqueles caras? Sei fui apenas mais um da sua listinha sórdida... algumas mulheres querem se sentir verdadeiras deusas vivas, com seus súditos aos seus pés e ganhando é claro.!
- Não, fiz tudo por sua causa... abalei o meu ser.
- Não diga que observei erroneamente, eu conheço a minha capacidade analítica.
- Então se você não acredita que nasceu um amor, aqui no meu coração por você.- Não suportei e o beijei tão gostoso pela ultima vez.- Por favor não! Quero você pra mim quero ser sua.- Sussurrei.
- Morra!- Berrou com ódio nos olhos.- Eu também maldita.- Empurrou-me com brutalidade e saltou daquele nocivo monte de maneira ligeira que o vulto do meu puro sentimento foi atrás.
Paralisada por exatamente dez minutos não poderia crer naquilo, não era o meu desejo, percebi que por mais amor que se pode ter por uma pessoa, temos saber o tempo exato de desistir de correr para um infinito que o único fim é desconhecido, e que este prejudica uma vida, uma alma e um sentimento que se deixarmos morrer sem querer passa assim depressa. Até mesmo o amor não pode ter o controle de nosso eu, nós fazemos o nosso deixe que os outros façam o deles. A vida é mais valiosa que um instante de querer desistir dela.



   

domingo, 12 de julho de 2015

Never Have I Fallen - Rex A. Williams -


As pessoas ainda tem medo de sofrer por amor os versos abaixo mostra como é encantado se apaixonar, não importa quantas vezes e sim como você supera as quedas.

Seus lábios falam doçura suave
Seu toque uma carícia legal
Eu estou perdido em sua magia
Meu coração bate dentro do seu peito

Eu penso em você todas as manhãs
E sonho com você todas as noites
Eu penso em seus braços em volta de mim sendo
E não posso expressar minha alegria

Nunca tinha caído
Mas eu estou no meu caminho rapidamente
Você prende um coração em suas mãos
Que nunca antes foi dado afastado


Your lips speak soft sweetness
Your touch a cool caress
I am lost in your magic
My heart beats within your chest

I think of you each morning
And dream of you each night
I think of your arms being around me
And cannot express my delight

Never have I fallen
But I am quickly on my way
You hold a heart in your hands
That has never before been given away

sábado, 11 de julho de 2015

As limitações da querença

A minha intenção não é banalizar o amor um dos temas que estudo arduamente , com o foco no romantismo homem e mulher, ferve a minha concepção, vejo isso como um motivo de pesquisa e inspiração pulsante, que cresce gradativamente o tempo todo. Assistindo o filme " A teoria de tudo" que trata da biografia de Stephen Hawking um astrofísico que tinha como visão que o universo teve um inicio com um buraco negro e como veio desaparece e sem limitações uma teoria única. Que Deus como criador não complica a vida do ser humano.
Mas se não existe Deus como posso sentir sua presença em meu coração? Vou tentar nem pensar nessa ultima pergunta retorica, pois meu amor pelo o senhor é tão viva em mim, que prefiro que aqueles que tem fome e acham que sabem do mundo a respondam.
Voltando ao assunto o amor romântico como gosto de nomear, a paixão é diferente, arde, pulsa, explode, sensualiza e tem um tempo que não se pode prever, mas tem um como posso escrever... sobe um degrau  e se transforma quando se tem sorte em uma especie de uma querença  que se sobressai das limitações visíveis. Sofremos quando não é correspondido... o pior é enquanto um sofre em não querer se deixar se amado e ignora o forte sentimento se movimenta feito um mostro indomável no coração, outro socorre ao céus calcula uma solução, razão e tenta loucamente encontrar uma brecha num fundo sem fronteiras.
Alguns períodos se rendem ao amor ou se suicidam subitamente pelo o medo do resultado misterioso, um dia li que o sofrimento amoroso não se liga a pessoa em si, porém a expectativa no eu e ela, isso degenera a beleza de um sentimento tão vigoroso.
" Os teus olhos, teu sorriso, um abraço impulsivo, calor da tua pela é como um vicio, uma possante caçada a felicidade e cumplicidade de duas almas distintas, com caminhos entrelaçados e enfim indescritível é o amor, não importa por qual ser, que o sinta."
 Quebrei muitos paradigmas por simplesmente tocar a minha paixão platônica, uma festa interna, doí ao escutar que para tal pessoa a minha existência não val, imagino se o afeto não tem o seu devido valor, porque não conseguimos limitar a querença que se obtêm pelo o outro, veio em minha cabeça um dia que poderia escolher em me apaixonar ou não se fosse o meu querer, isso repensei é nulo, pois o que acontece involuntariamente sem aviso prévio, desfreada a paixão instala-se sem pedir permissão no coração medonho.
" Para que se preocupar com traumas, também as tenho desde a infância, que o nosso amor supere os receios e a oposição do ego, a dignidade não se modifique e orgulho se torne manso, Ele nos fez para amar e ter a felicidade de poder ser amado, sem limitações e nenhum preconceito."
Como gostaria de fazer das incógnitas uma aceitação....  por todos e a vida caminha junto com a esperança. O tempo voa feito um pássaro com frio, as escolhas clamam por uma reação assertiva e um amor real não se desfaz facilmente, extraordinário é a emoção de fazer o afeto prevalecer acima das circunstancias do destino, a benção é daqueles que não desistem de si e do próximo que ainda não nasce e poderá conhecer uma historia de afeto imenso.

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Conte-me Paolo *2*

Coloco em mãos uma teoria de que Franchesca Raffe praticamente sem querer buscava pelo o campus de Sorbonne a imagem de Paolo Caron em todos os calouros que encontrava, caminhando pelos corredores extensos e frios, mais nenhum deles tinha a habilidade do italiano Mama Mia em sorrir naturalmente, arquitetura do prédio em sua portaria era tão acinzentada, que os seus lados amarelos perdiam o glamour e entristeciam o ambiente inteiro. A clara nudez de sua alma tinha o desejo de olhar novamente os olhos de Dom Caron.
Todas aulas passam depressa quando o aluno está comprometido com o conteúdo, mas para ela um motivo para deixar de pensar em Paolo, Sentada na cadeira quente de madeira, suas folhas escritas sobre a mesa, batucava com a caneta e brincava com sua borracha,momentos com o cotovelo encostado em seu rosto, lembrando de como um simples fato de reparar em um jovem estrangeiro a constrangia de tal modo, afetava sua respiração e cansava o seu folego, mordia uma das pontas da caneta desesperadamente.
- Pare com isso já!- O professor raivoso bateu na mesa.- Aqui não é o céu para você estar nas nuvens.- O semblante do homem ficava cada vez mais assustador.
- Desculpe.- Envergonhada olhou paras unhas roídas.
- Se defenda agora... no que estava pensando?
-Me rendo, sou culpada e não tenho o que dizer.
- Escutei certo? A senhora Raffe não tem palavras?- Curioso e gargalhou.- A destemida não encontra palavras para descrever os próprio raciocínio... deve está pensando só pelo o renome vai me amedrontar?- Os olhos cresceram e um leve suspiro dado.- Não sou tolo... quero então um trabalho de defesa...
O que o professor de muita experiencia acadêmica pediu era tão complexo pelo o tempo que ele determinou, em um segundo Franchesca pretendeu falar que estava começando a se apaixonar por um moço que naquela altura poderia nem saber mais quem era ela, porém sua decisão foi aguentar quieta e concluir o que se foi solicitado.
" Oh, Senhor não posso acreditar que um italiano sem graça esteja ocupando meu coração, as palavras não podem fugir de minha boca isso é meu orgulho... Une raison de quitter douce fierté."
Paolo por sua vez intrigado com o seu sonho desenhava o que podia recordar, pintando com a aquarela, um ritual para um simples jovem seguir quando se sente apreensivo,guardava suas pintura em um ficheiro de capa suja. Ansioso pelo o seu primeiro dia de verdadeiramente estudante de arquitetura, a disciplina da historia da arte o comovia com tamanha sensibilidade que o fazia aprender automaticamente e colocar em ação, nos seu esboços adorava assinar bem grande e extravagante o seu nome.
A fantástica biblioteca de Sorbonne com suas estantes e mesas conjuntas  de madeiras da melhor qualidade, totalmente lustrosa e brilho, os livros tinham o odor do extremo conhecimento de suas páginas, a bandeira da instituição exposta, arcos no teto com tendencia romana os luzes modernas e uma poderosa obra de arte em seu centro. Paolo estava ali solitário depois da aula e com uma expressão contente devorando as letras do livro de artes, anotava as partes que o mais interessava. Quando Franchesca entrou o viu de longe e sorriu. Caminhando lentamente, suando frio, mãos geladas e aparentemente aterrorizada, pois o desejo que tinha inconscientemente realizava-se. Passou diante de Caron e fingiu não o ver.
- Senhorita!- Levanto-se rapidamente Paolo e anunciou um cumprimento- Fico alegre pela a bela oportunidade de revê-la.
-Sim. Que bom o quê faz aqui as aulas mal começaram e já está todo motivando em não reprovar- Sua pele ficava cada vez mais quente.
- Tenho muito em aprender, vejo que também é muito esforçada.- Afirmou.
- Não como você.
- Sente-se do meu lado aprecio uma boa companhia.
- Claro! Mas primeiro tenho que pegar alguns livros.
- Vá e volte por favor.- Segurou as mãos da moça e beijou o seu rosto instintivamente.
Uma tarde deliciosa de trabalho duro e estudo que predominava, a conversa ficava cada vez mais interessante, Paolo tímido escutava atentamente a Franchesca, ela se destacava e falava de suas viagens provocativa, nunca se sentiram tão próximos de alguém até aquele dia. Se entregaram a uma amizade que aflorou maduro precoce. Parecia que cresceram juntos e ao anoitecer veio um frio, uma neblina chata, os casacos densos não eram o suficiente.
- Se quiser te levo para casa.- lhe entregou luvas.
- Não sei você pode ser perigoso... não ando por ai com estranhos.
- Não seja dissimulada nos conectamos o nosso interior com tanta força... eu sei que você quer.
- Convencido.- Coçou o pescoço.- Tudo bem, vamos antes que seja mais tarde.
Exatamente 22:00 horas da noite saíram da universidade, abraçados e com o sangue quente, enquanto o frio aumentava a cada passo que davam, Raffe tinha a proteção de um cavalheiro e Caron a honra de acompanhar uma bela senhorita. No final da rua antes de cruzarem a ponte foram abordados por um jovenzinho de mais ou menos 15 anos, gracioso, sujo e roupas velhas.
- Estou com fome poderia me ajudar?- Tocou nas mãos de Franchesca.- Como você é bela senhora!- Os olhos dele brilhou como jamais havia... deslumbrado e emocionado.
- Rapaz como é seu nome?- Perguntou Paolo o tirando perto da moça.
- Gaétan... Senhor... somente estou com fome... não faço mal... principalmente por causa dela...- Estremeceu.
A partir dali um extinto muito forte encheu de compaixão no coração do casal de amigos, quem é realmente Gaétan, um menino grande, porte de um homem e mentalidade de um noviço.
 
 

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Idiomas / Language Disputa no interior

I love learn the new word mainly the English, have a fascination by the sound, maybe because I think have a little of ease with, would that how magic own the skill be one people to put the letters in hand.

Na verdade não sei o certo se escrevi certo, mas tentei conhecer um novo idioma aguça a criatividade para mim, nos  artigos que escrevo, a música que quero fazer. Eu refleti como posso querer aprender uma nova língua se não domino a minha própria, aquela que sou nativa. Amo escrever e uma ambição pelo o conhecimento grandioso. Perco o tempo nas expectativas sem noção, esqueço muitas vezes de viver o presente, imaginando o futuro.
Sem ser modesta tenho um QI acima ( segredo só fiz aqueles testes) e tive um álibi a concentração unicelular aumenta a capacidade de você absorver a experiencia da melhor maneira possível,  acredito que quando estou no pleno auge de estaze tira um pouco da coesão e isso atrapalha, prejudica e desencanta os planos que projetei minuciosamente.
I want learn the English by the my passion in arts, however enchants me the any language, the French start adore after listening to some music.

Besteirinhas

Algumas coisinhas bobas que não me aguentei e vou postar para rir um pouco:








Como a gente perde tempo com bobagens: