domingo, 19 de julho de 2015

Incógnita estonteante

Não devo molestar as minhas lembranças com momentos falsos e vazios, tenho como uma espécie de tese que  existimos por um motivo excepcional que pode estar na palma das mãos, mas somente na hora exata será revelada, um dia depois de  uma  conversa sutil, perguntei para mim mesma quem realmente sou, não obtive uma resposta concreta como uma incógnita agoniante.
Reparei que não conseguia ter uma postura solo em todos os ambientes, amigável, feliz, animada, séria, misteriosa e etc...Tento blindar o meu EU com a neutralidade e a magia de sentir ( falo muito esta palavra porque ela de fato suga o meu tempo) quando concentro todos os meus pensamentos em algo, parece que vem inesperadamente uma criação interdisciplinar estonteante, animo o futuro que se faz distante, lembro que era uma criança isolada, vivendo em um mundinho de imaginação muito fértil, significando que tinha total posse da vida que levava. Praticando o equilíbrio sei que não tenho reflexos adequados, muitos não entendem a maneira que vejo a vida, isso não me agustia e sim traz a tona a vontade de ir lá e surpreender novamente.
Feito um doce de tacho criado pela avó de outro alguém, devoro o simples, ambicionando o universo, fome pelo o conhecimento, guardando o prazer. Acho que CRIAR é um forte dom que DEUS deixou cair em meu colo, assim também a ATUAÇÃO muito de incessantemente vestir o personagem proposto em uma historia é mais que uma ficção, sim uma arte de viver... vivendo em uma dimensão igual e ao mesmo tempo impressionar o público.
É um encantamento a Dança e a Música, causa uma pulsação bela e forte em todo o meu corpo, falando alias em nossa carne devemos doma-la com tal valentia, para que este não decepcione o nosso racional.
Como um flash tive uma ideia de fazer um roteiro mais ou menos assim .... " Um talento invisível" para proporcionar o controle de qualidade e defeito que rege a gente, iniciando com conflitos de jovens, naturalmente com uma competição de que é o melhor o mais talentoso, indo para a dissimulação, reviravoltas esse termo não me atrai como outros que também realizam coisas, porque isso amplia os rumos do enredos, e abre diversas questão, que aparentemente é duro finalizar, isto é, causa um vicio que não somente artistas, cientistas, pensadores e também pessoas comuns, adquirem que a necessidade de melhorias continuamente, nunca está perfeito e aquele gosto de mais, mais, mais, melhor, melhor, melhor e que leva um auge de exibicionismo prejudicial ou um declínio da capacidade de ser nós mesmos. A liberdade de expressar a nossa identidade é primordial, demostra o quão envolvidos com a vida estamos e como engenhosos somos para aproveitar o pomposo destino que teremos. Que tudo é mais um passo para seguir em um caminho que não conhecemos, mas iremos felizes, escolhendo a melhor rota e ao chegar berrar - Não tenho arrependimentos naquilo que fiz, pois fui eu  mesmo e não escondo a existência de uma incógnita estonteante que habitou em mim.
Nas nuvens ainda não fui sincera comigo na escolha da qualidade e defeito predominante que possuo, estou com uma tamanha dificuldade em moldar este personagem caricato, doi não saber que você realmente é.        

Nenhum comentário:

Postar um comentário